“É preciso julgar as circunstâncias e saber que é disso que se faz a história, do modo como nos comportamos perante o momento em que vivemos. É isso que determina o futuro da nossa casa.”
Dom Fernando Mascarenhas

O legado que Dom José Mascarenhas deixou é maior do que as palavras e começa na Fundação das Casas de Fronteira e Alorna, nascida oficialmente em 1989 para preservar o Palácio dos Marqueses de Fronteira, em São Domingos de Benfica, assim como o património cultural que conta três séculos da história de Portugal.
Se gostaria de realizar um passeio interessante e fora da rota turística mais usual de Lisboa, dirija-se a São Domingos de Benfica, com o Parque Florestal de Monsanto logo ao lado, para uma visita ao Palácio dos Marqueses da Fronteira, um dos palácios mais deslumbrantes e esplendorosos que encanta nacionais, mas principalmente turistas e que ainda hoje se mantém à distância do bulício da cidade. É assim desde sempre…

O Palácio dos Marqueses de Fronteira, com a construção iniciada em 1667 por iniciativa de D. João de Mascarenhas, 1º Marquês de Fronteira, foi a residência de campo dos marqueses de Fronteira e destaca-se pela sua harmonia, proporção das formas e riqueza decorativa, sendo um dos mais notáveis núcleos solarengos de Portugal. Neste sentido, evidencia-se os mármores, a pintura marmoreada, os estuques e os lambris de azulejos historiados e alegóricos.
O Palácio encerra uma notável riqueza azulejar com particular incidência na Sala dos Painéis Holandeses, na Galeria das Artes e na Sala das Batalhas onde painéis de azulejos retratam a história do 1º Marquês de Fronteira, herói da Guerra da Restauração.
Este palácio é constituído pelo corpo principal, ao qual foi construída uma nova ala adjacente no século XVIII e que tinha como objetivo inicial destinar-se a uma residência de verão, no entanto após o terramoto de 1755 foi convertido a residência permanente devido à destruição da residência dos marqueses de Fronteira.
Apresenta uma arquitetura residencial, maneirista e barroca, sendo um exemplar de quinta de recreio seiscentista, em que o edifício do palácio se integra com o jardim, hortas, pomares e uma mata
A harmoniosa explosão de cor e brilho, a arrojada mistura de azuis, vermelhos, ocres, verdes, brilhos e azulejos destaca-se na paisagem e evidenciam o elevado sentido plástico de João de Mascarenhas.

Este palácio conta com um detalhe bastante interessante que surpreende qualquer visitante: a família Mascarenhas, proprietária desde o século XVII, ainda reside nele, razão pela qual as visitas acontecem em determinados horários e apenas guiadas. Além da beleza, o lugar é cheio de história, contada em detalhes pelos guias responsáveis em conduzir os visitantes durante os 45 minutos passados no interior da casa. A casa não é um museu, os tapetes podem ser pisados e as cadeiras usadas, o espaço tem vida e é muito acolhedor. Na verdade é um espaço aberto a iniciativas culturais, cientificas e educativas.
Os jardins possam ser desfrutados como bem desejar. Há quem se sente a ler ou a dormitar nalgum banco abandonando-se por momentos a ouvir os pássaros.
Surpreenda-se com a fama destes jardins conhecida além-fronteiras. Recentemente, o “The Gardener’s Gardens, da Phaison Press”publicou a lista de 250 melhores jardins do mundo. Figuram neste grupo 5 jardins portugueses, ao lado de locais emblemáticos como o Taj Mahal ou os Jardins de Versalhes, e o Jardins do Palácio dos Marqueses de Fronteira surge orgulhosamente nesta lista.

O colorido dos azulejos, o verde geométrico dos canteiros, a pedra das estátuas e a frondosa e colorida sombra das árvores confere um ambiente requintado e superlativo a este magnífico palácio da capital portuguesa que foi declarado Monumento Nacional, por decreto de 26 de fevereiro de 1982.
A sua localização privilegiada na Cidade de Lisboa, preservando a intimidade e serenidade do espaço verde envolvente, fazem do Palácio dos Marqueses de Fronteira um local único para autênticos eventos de sonho, como casamentos, concertos, conferências, congressos, reuniões, festas, jantares, entre outros, recuperando assim o glamour, a mística e o poder de atracção que sempre o acompanharam desde que foi edificado.
Visite e conheça este local idílico repleto de história, arte e cultura que proporciona verdadeiros momentos de sonho. É uma tentadora e sedutora Ideia do Coração!

Palácio dos Marqueses de Fronteira
Palácio Fronteira