O Museu onde a história é contada a azul e branco.

Viajar pelo país é visitar um autêntico museu vivo da azulejaria, mas é no Museu Nacional do Azulejo, em Lisboa, que se pode conhecer de forma única toda a sua história e a evolução técnica e artística, desde os primeiros tempos até à produção contemporânea.

Se há arte bem portuguesa é a arte do azulejo, a peça de cerâmica vidrada que, em conjunto com outras, nos conta histórias das vivências no Portugal de outrora. Foi precisamente nesse sentido que surgiu o Museu Nacional do Azulejo, criado em 1965, que apresenta a história e a evolução da arte desta peça num magnífico convento do século XVI, constituindo das atrações mais apreciadas da capital.

Este museu é único no mundo inteiro, dado que nenhum país se dedica a esta arte como Portugal. Curiosamente, a confecção de azulejos é originária do Egipto, sendo que depois se propagou pelo resto de África e pela Europa. Em Portugal a época de glória do azulejo durou apenas alguns anos, no entanto o seu estilo acompanhou o poder económico que se vivia em Portugal na época. Os azulejos foram utilizados para decorar altares, mapear cidades, conferir estatuto às habitações dos mais poderes e serviram mesmo para fazer sátira política e social.

A colecção do Museu Nacional do Azulejo abrange toda a produção de azulejos da segunda metade do século XV até aos dias que correm. Além de azulejos, esta mostra ainda integra peças de cerâmica, porcelana e faiança que ilustra os materiais e técnicas de manufatura do azulejo.
No Museu Nacional do Azulejo, encontram-se painéis que testemunham a evolução e a monumentalidade desta peça de cerâmica decorativa que se adapta às necessidades e acompanha os estilos das diferentes épocas.
A obra mais emblemática é uma composição de 1300 azulejos com 36 metros de comprimento, ilustrando Lisboa antes do terramoto de 1755.
A preciosa coleção inclui várias obras primas portuguesas e estrangeiras, fazendo do muesu uma instituição de referência nacional e internacional.

Mais do que um elemento decorativo ou que um ornamento, significa uma extensão da caminhada artística e criativa de um país que, no meio de várias contrariedades, nunca se privou de vincar a sua identidade. Portugal conhece, na sua arquitetura citadina e rural, uma série de consagrações de azulejaria, com diferentes descrições narrativas, mas sem nunca esquecer a plenitude de mentes e de emoções que encaminharam a sua produção e estetização.

Museu do Azulejo em Lisboa
Museu Nacional do Azulejo / National Azulejo Museum
Museu Nacional do Azulejo