A produção literária, é algo que me entusiasma e fascina bastante e, como tal, não podia recusar o convite da Chiado Editora para participar uma vez mais no lançamento de mais uma obra, desta vez, têm de concordar, muito associada ao meu projeto Ideias do Coração.

Uma vez mais a Sala Belém do Pestana Palace Hotel esteve repleta de promissores “escritores”, num total de cerca de 800 pessoas.

Enquadrado um pouco, mas não necessariamente, no Dia dos Namorados, o desafio consistiu em escrever uma Carta de Amor e, foi nesse sentido, que este evento encheu o coração de todos os presentes, com a leitura de várias Cartas de Amor, algumas mais profundas, outras mais divertidas…

Julga mal, quem pensa que uma Carta de Amor só faz sentido escrever para o seu amado(a). Uma Carta de Amor pode ser destinada aos nossos familiares mais queridos, até mesmo àquele amigo(a) mais colorido(a).

O que importa é transmitir para o papel o seu sentimento mais profundo e verdadeiro e só assim poderá nascer talvez uma Obra de Amor.

Partilho com todos vocês, a minha Carta de Amor… e será que descobrem se existe mesmo alguém na minha vida ou é só ficção?

Será que sou correspondida e receberei igualmente uma Carta de Amor? Quantas já terei recebido ao longo da minha vida?

Quantas perguntas suscitam uma Carta de Amor.

Escreva uma e conhecerá o encanto e a graça de transmitir o que lhe vai na Alma e no Coração…

CARTA DE AMOR

Se eu te dissesse…

Quando te conheci, não pensei que iria durar muito tempo. Achei que era só mais uma brincadeira e um “tchauzinho” no final. Mas foi muito além do que eu esperava. Até esse dia, todos os homens do Universo, eram iguais para mim, só mudavam de endereço.

Agora vejo que existem exceções e tu és uma delas.

Trouxeste o colorido, o brilho dos meus olhos, o meu sorriso sem graça, minhas bochechas avermelhadas e aquelas borboletinhas no estômago.

Coisas que eu achei que nunca mais sentiria por outra pessoa, a não ser por aquele idiota que só me fazia sofrer.

Enquanto eu olho nos teus olhos, tu colocas a mão na minha bochecha e, logo depois colocas a minha franja que sempre cai no meu olho, atrás da orelha, dando aquele beijo delicado e demorado.

Tu és o único que olhas diretamente nos meus olhos e eu admiro tanto isso em ti.

Já te disse o quanto fico sem graça quando olhas para mim e eu não sei o que fazer e acabo rindo?

E se eu te dissesse que és perfeito?

E se eu te dissesse que te amo e fizesse você me amar.

Eu diria EU TE AMO

Sem medo e sem pensar.

Vera Mendes